04/06/2018

O preço que se paga: Quanto custa os cibercrimes?

Segundo a Pesquisa Global de Segurança da Informação, realizada pela PwC, o número de cibercrimes aumentou em 274% no Brasil.

Por serem ataques silenciosos e pontuais, muitos empresários não se atentam à importância de terem seus dados protegidos.

Mesmo com o avanço das tecnologias de segurança, muitas empresas acabam deixando a proteção de informações de lado.

Tendo em vista que os ataques virtuais afetam empreendimentos de diferentes maneiras, na produtividade, lucratividade, processos e operações, isto é um grande problema.

Por isso, contar com soluções eficazes de proteção contra cibercrimes é algo fundamental.

Conhecer os cibercrimes e como eles atacam, também ajuda empresas e empresários a se protegerem.

Quanto de lucro o cibercrime tem?

Segundo um estudo da empresa norte-americana Cybersecurity Ventures, até 2021, os custos por conta de cibercrimes devem chegar até US$ 6 trilhões por ano.

E essa é apenas uma parte do lucro que os hackers têm ao invadir bancos de dados de empresas.

Dependendo do ataque, eles podem usar as informações para conseguir lucros imensuráveis.

Os ataques acontecem em empresas de grande e pequeno porte, em todo os lugares do mundo.

Este montante não é resultado de um ou dois ataques, mas sim, dos milhares que acontecem, todos os dias. O que não torna estes US$ 6 trilhões menos expressivos.

Não é à toa que os cibercrimes são uma das principais preocupações do meio empresarial.

Eles não afetam apenas o desempenho dos empreendimentos, mas também, colocam em cheque a credibilidade da marca junto aos clientes.

Por que os dados são o “tesouro moderno” tão mirado por esses criminosos?

Os dados corporativos e pessoais são tão desejados hoje em dia, porque através deles os cibercriminosos podem conseguir qualquer coisa.

Afinal, é uma informação muito rica que está completamente exposta, e nós precisamos muito delas.

Você deixaria todos os dados que tem sobre bancos, clientes, documentos e histórico de lado para começar do zero? Sem se importar com máquinas, burocracias, etc?

Acreditamos que não, não é mesmo? As informações que temos dentro de nossas empresas é parte essencial do nosso dia a dia de trabalho.

Hoje em dia, os dados roubados em cibercrimes podem ser usados de diferentes formas. E se pensa que esse tipo de problema é uma realidade apenas das empresas de grande porte, está enganado.

Na verdade, as pequenas e médias empresas também representam grandes alvos de cibercrimes, pois geralmente são elas as principais empresas que não investem em proteções.

O que é um grande erro.

O que motiva os hackers?

Os cibercrimes acontecem por vários motivos.

A grande maioria tem um envolvimento financeiro, onde os hackers irão ganhar uma grande quantidade de dinheiro ao roubar dados de uma empresa.

A espionagem também é uma motivação constante nos ataques virtuais. Saber o que o concorrente está fazendo e se aproveitar dessas informações para ter algum tipo de vantagem também leva muitos hackers a cometer cibercrimes.

A gigantesca maioria dos ataques não possui um alvo certeiro. Os mecanismos são complexos, não rastreáveis, e muitas vezes o criminoso nem saberá quem ele está atacando.

Ele sabe apenas que a brecha existe, a falha na segurança existe, então ele tem abertura para agir.

Ataques como Ransomware e Phishing, por exemplo, são tipos de cibercrimes diferentes que possuem o mesmo objetivo: confiscar informações em troca de recompensa.

As motivações são as mais variadas possíveis, mas uma coisa é certa: os cibercrimes trazem diversos tipos de prejuízo para uma empresa.

Então como se proteger desses ataques?

A primeira coisa que você precisa fazer é procurar uma empresa de segurança especializada.

Em seguida, é essencial investir em proteções virtuais, tais como antivírus, backups, fortalecimento de sistemas entre outras soluções.

Dessa maneira, sua empresa ficará menos suscetível a cibercrimes.

Ter uma ótima equipe e uma política de segurança dentro da sua empresa, também pode ajudar. Muitos ataques são barrados pelo simples fato dos seus profissionais saberem reconhecer o perigo.

Sua empresa não está segura! Como se proteger na internet?