Início » DPO – a carreira de 2021: como me tornar um?

DPO – a carreira de 2021: como me tornar um?

DPO – a carreira de 2021: como me tornar um?
Você sabe como ser um DPO? Com o crescimento da internet no mundo, mais e mais dados são coletados e armazenados diariamente na web. As empresas de tecnologia possuem milhões de informações sobre seus clientes.

Dessa forma, é necessário preservar esses dados, essas informações, pois podem gerar problemas se caírem em mãos maliciosas.

É aí que entra o Data Protection Officer (DPO). Países de todo o mundo têm criado legislações específicas para tratar o assunto. Eles estão em busca de regulamentar a coleta, a gestão e a utilização desses dados.

O Data Protection Officer, conhecido no Brasil como encarregado de proteção de dados, é o profissional que se dedica à proteção destas informações atuando na defesa dos clientes e usuários. Neste artigo você vai saber como ser um DPO.

Como ser um DPO

É necessário que o profissional tenha conhecimentos e habilidades de diversas áreas para proteger as informações e dados contra o uso por terceiros que podem utilizá-las de maneira mal-intencionada.

Não existe ainda uma capacitação formalizada para esse tipo de profissional. No entanto, existem certificações baseadas nas normas internacionais.

As empresas e profissionais que investem nessa área são beneficiados por uma melhor transparência de suas operações e garantem a confiança dos usuários de seus serviços ou consumidores de seus produtos. Dessa forma, o profissional de DPO pode ambicionar uma carreira promissora e muito bem remunerada.

A proteção de dados se tornou bastante importante para as empresas, pois os dados e informações se mostraram extremamente valiosos. Houve uma necessidade de se regulamentar os usos desses tipos de dados.

Fez-se importante criar leis a níveis globais, pois a internet também é global e portanto, para se regulamentar a coleta desses dados tem-se que agir pensando no todo.

A União Europeia criou em 2018 o General Data Regulation (GDPR) que atua nos países do bloco regulamentando a utilização de dados via Web. No Brasil, foi criada a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), que busca a mesma regulamentação dos europeus

Como ser um DPO: conheça as leis

Os DPOs devem conhecer estas leis e aplicá-las caso seja necessário. Ele deve ser transparente e responsável. É preciso avisar aos usuários e clientes que seus dados estão sendo armazenados pela empresa.

Eles têm que permitir, antes de tudo, esta coleta. Para que, assim, os dados coletados possam ser utilizados com transparência e ética.

O DPO deve proteger estes dados e informações para que eles não caiam em mãos erradas. É importante que ele saiba as legislações de segurança das informações do Brasil e do mundo. Os usuários precisam ter o controle dos dados disponibilizados e saber qual o uso, a utilidade deles.

Assim, o departamento do DPO deve estar integrado com o do TI, para assegurar que as informações não serão vazadas. Eles devem criar mecanismos eliminando qualquer brecha de segurança.

Empresas estão aderindo

O Data Protection Officer é cada vez mais necessário para empresas que precisam armazenar e lidar com dados dos usuários de seus sites. Ele precisa conhecer as leis sobre os dados. No entanto, não há ainda uma formação especializada para o DPO. Ele pode, por exemplo, ser um advogado que conhece um pouco de TI.

É importante ressaltar que o DPO deve agir visando a segurança dos dados coletados pela empresa. Suas funções são determinadas pela LGPD no Brasil e pela GDPR na Europa. Ele deve resguardar as informações coletadas e agir quando ou se houver algum vazamento.

O pessoal do TI deve informar de forma clara ao usuário de que as suas informações serão coletadas. Assim, o DPO deve se certificar disso com o departamento da empresa. Caso seja solicitado, a empresa deve apagar os dados do usuário.

O DPO deve garantir a segurança das informações coletadas. Com base na LGPD deve avisar a eles que seus dados serão armazenados. Contudo, ele também precisa ficar atento a invasões de hackers mal-intencionadas nas redes da empresa em que atua, garantindo que as informações não serão roubadas e utilizadas por outras pessoas.

Certificados

O profissional é encarregado de tudo que diz respeito à privacidade e à proteção dos dados. Ele deve ser certificado para atuar como DPO. Para tal existem programas de certificação baseados na LGPD e na GDPR.

São três: o Information Security Foundation (ISFS), Privacy & Data Protection Foundation (PDPF), Privacy and Data Protection Practitioner (PDPP), todos promovidos pela EXIN.

Segundo o artigo 41 da LGPD, o DPO deve aceitar reclamações e comunicações dos titulares, prestar esclarecimentos e providências; receber comunicações de autoridades nacionais; orientar funcionários das práticas relacionadas às proteções de dados; e executar as demais atribuições do cargo. Além disso, o profissional deve ser claro e transparente, atuando junto a colaboradores e clientes.

Existem diversos cursos que auxiliam no estudo para se conseguir a certificação de DPO. Além disso, alguns oferecem simulados para a prova de certificação.

Como ser um DPO na prática

É um trabalho bem remunerado, estima-se que o salário médio de um DPO no Brasil seja de cerca de 19 mil reais. Deve-se, contudo, se destacar e estar sempre atualizado tanto em conhecimentos técnicos de TI, quanto das leis vigentes no país e no mundo.

O cargo de Data Protection Officer é novo, não há um curso por exemplo de formação para atuar no cargo. Mas depois da criação do LGPD toda empresa deve ter um. Assim sendo, é uma área em expansão no Brasil e no mundo.

Fazendo os certificados da EXIN você vai estar preparado para trabalhar tanto no Brasil como no exterior.

Estamos na era da informação e ela, hoje, vale ouro. Por isso é preciso proteger os dados dos usuários e possibilitar a eles a disponibilização ou não de suas informações.

O Brasil entrou de vez na era da internet. Com o LGPD a regulamentação e a proteção dos dados virtuais são uma realidade. Dessa forma, é preciso que as empresas se adaptem a este novo cenário e o cargo de DPO possui uma importância fundamental para isso.

Quem deseja se adentrar neste novo setor deve estudar sobre as leis que geram a contenção de dados e informações e saber como funcionam os programas e softwares de defesa contra invasores. Afinal, a informação vale ouro e o DPO é o novo xerife.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *