Início » Passo a passo para implementar a LGPD em sua empresa

Passo a passo para implementar a LGPD em sua empresa

Passo a passo para implementar a LGPD em sua empresa
Se você anda com diversas dúvidas e preocupações acerca das penalidades sofridas por empresas que descumprem a LGPD, saiba que não é único. E, é exatamente por esse motivo, que desenvolvemos todo esse passo a passo prático sobre como colocar a LGPD em prática no seu negócio facilmente.

Está pronto para descobrir todas as etapas precisas? Então, vem com a gente!

7 etapas para concretizar a LGPD em sua empresa

Não existem dúvidas de que o assunto do momento é a implementação da LGPD. Todas as empresas se encontram, hoje, bastante preocupadas com a efetivação desta lei, e não é à toa!

Com, agora, um novo órgão responsável pela verificação do cumprimento da LGPD, muitas corporações estão tentando fugir de qualquer espécie de penalização. Afinal, as multas podem chegar a R$50 milhões ou suspensão dos serviços relacionados ao tratamento dados.

Para evitar que qualquer uma dessas punições te aconteçam, preparamos 7 passos práticos para a implementação da LGPD. Preparado? Então, acompanhe:

1-Conheça a LGPD
Certamente a etapa primeira, e mais importante, é compreender verdadeiramente essa nova lei. Com certeza isso não significa que deva ler todo o texto integralmente, mas que procure informações relevantes sobre a LGPD antes de aplicá-la.

É necessário, antes de qualquer ação, reconhecer quais as suas obrigações legais como representante de uma empresa. Dessa forma, é bastante muito fácil identificar os procedimentos inadequados do presente e as mudanças necessárias, tudo isso sem perder produtividade de seus processos internos.

ESTUDE, ESTUDE E ESTUDE! E se tiver dúvidas de por onde começar a Norte Security tem um ebook completo sobre a Lei que pode lhe ajudar!

2-Crie um canal de comunicação eficiente com seu cliente
A segunda etapa é exercitar a comunicação transparente com todos usuários que você coleta dados pessoais, sejam clientes, colaboradores, fornecedores e outros. Com a efetiva implementação da LGPD, os proprietários de dados passam a ter os direitos relacionados aos seus dados assegurados e cabe as organizações justificarem e demonstrarem os reais motivos de tratamento de dados, sua segurança e processos de forma clara e destacada.

Assim, pode acontecer de sua empresa receber solicitações ainda mais específicas, se fazendo necessária uma preparação para o atendimento das demandas.

Algumas das configurações substanciais para os canais de comunicação, são:

– Validação dos dados

O detentor dos dados tem, agora, direito pleno de acessar suas informações coletadas pelo controlador. Por esse motivo, é fundamental que ele consiga verificar quais dados estão sendo ativamente usados por sua empresa, assim como o motivo de seu uso.

*É importante a empresa ter justificativa legal para tratar os dados e consentimento claro e destacado do proprietário dos dados.

**A empresa precisa adotar ferramentas, processos e tecnologias que garantam a transparência do tratamento e facilite o acesso dos dados ao seu proprietário

– Limitação de tratamentos

Para alguns tratamentos, segundo o titular dos dados, pode haver consentimento de uso, mas para outros não. Como por exemplo, pode acontecer de uma pessoa consentir o uso de seu e-mail para o envio de avisos de novos conteúdos, mas negar sua utilização para marketing de seus produtos. Assim, cada espécie de tratamento precisa de novo consentimento expresso do cliente.

É válido as empresas utilizarem ferramentas que facilitem o consentimento de forma clara do proprietário dos dados.

– Exclusão de informações

Com a implementação da LGPD, os clientes têm íntegro direito de solicitar o cancelamento de suas informações inúteis para os processos da empresa, excessivas ou até conflitantes com a lei.

As empresas devem adotar meios de realizar a exclusão dos dados ou ter justificativa legal para guarda dos mesmos

– Direito de esclarecimento

O titular das informações tem, também, direito de exigir claras explicações relacionadas aos critérios e tratamentos usados por sua empresa. Ou seja, o site do seu negócio precisa ser completamente transparente quanto a utilização dos dados pessoais guardados.

É necessário também se preocupar com o fator de segurança e proteção dos dados, além de transparência do tratamento o usuário deve ter visibilidade dos meios e garantias que estão sendo adotados para mitigar vazamento de seus dados

3 – Acione consentimentos de cookies
Como percebeu, um dos mais fortes propósitos da LGPD é garantir o direito de consentimento do proprietário para o manejo de suas informações pelas corporações. Isto é, cliente deve ter controle íntegro de todos os seus dados pessoais.

Dessa forma, é importante dar, para o usuário, a opção de aceitar ou não os inúmeros tipos de cookies- informações usadas pelos sites. Esse certamente é um processo bem simples e que possibilita a escolha de quais dados entregar ou não.

4 – Mapeamento do fluxo de dados
Nessa etapa, deve-se revisar e estudar todo o percurso das informações pessoais de clientes em seu negócio, iniciando na coleta de todos os dados.

Vale se perguntar, quais os dados coletados por sua empresa ao longo de seus processos? E, quantos deles são verdadeiramente essenciais para os procedimentos realizados? Com base nessas questões, precisa-se mapear todo o caminho das informações dentro de seus sistemas empresariais internos.

5 – Reconhecimentos de risco e investimentos em segurança
Com todo o percurso analisado, chegou o momento de identificar todos os possíveis riscos e investir em eficientes políticas e tecnologias de segurança em sua empresa. Questione-se de todos os seus servidores, softwares e sistemas internos estão aptos para a nova realidade de tratamento e proteção dos dados.

É fundamental lembrar que as ameaças não vêm somente de grandes ataques hackers ou usuários mal-intencionados. Inúmeras vezes, ocorre o vazamento de informações pessoais graças às práticas inadequadas de manuseio dos dados ou até de equipes pouco capacitadas.

Assim sendo, é substancial investir em grandiosas e eficazes medidas de segurança. Elas precisam partir do software usado e fragilidades em seu código, até o treinamento plenamente correto para os colaboradores da sua empresa que lidarão com todos os dados de clientes.

Frisamos que a segurança da informação, políticas, treinamentos e tecnologias devem fazer parte da nova cultura da empresa e estar inseridas no dia a dia dos colaboradores e dos processos das organizações.

6 – Desenvolva sua política de privacidade
A política de privacidade é um dos mais importantes documentos de uma empresa. Nele, se especifica todos os detalhes da coleta dos dados, além de seu armazenamento e usos. Bem como determinações presentes para a segurança desses dados pessoais coletados. Esse documento deve ser de facílimo acesso para todos os que tiverem interesse em ler quando buscarem por sua corporação.

7- Exija de seus fornecedores e Clientes o cumprimento da LGPD
Centenas de negócios usam, hoje, de soluções terceirizadas para o tratamento e armazenamento de todos os dados de seus clientes, questões de marketing e até sua gestão da área de TI.

Assim, é fundamental garantir que os fornecedores de serviços relacionados à sua empresa, estejam plenamente alinhadas as novas regras. Tudo isso porque, caso haja complicações futuras com as informações coletadas, sua corporação pode também ser responsabilizada e punida.

Agora, nos conte se esse conteúdo te ajudou a esclarecer suas dúvidas acerca da implementação da LGPD? Se ainda precisar de ajuda, conte conosco temos profissionais e tecnologias que lhe ajudarão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *